4 motivos para você deixar a preguiça e ir para a academia

Aumenta a capacidade cerebral

De acordo com pesquisas realizadas no Laboratório de Neurociências do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, exercícios regulares podem promover aumento na produção de neurônios e substâncias que atuam na nutrição e desenvolvimento dessas células, além de aumentar a capacidade cerebral e criar novas conexões, chamado de neuroplasticidade.

Esse mesma pesquisa observou que a prática de exercícios de forma contínua promove atividade intensa no hipocampo, região cerebral  onde ficam armazenadas as células-tronco e dá origem aos novos neurônios, relacionada à memória e aprendizagem.

A partir da elevação nos níveis de oxigenação e fluxo sanguíneo do corpo, o funcionamento da memória e concentração podem prevenir casos de acidente vascular cerebral, explica Gisele Sampaio, gerente-médica do programa integrado de neurologia do Hospital Albert Eistein. O resultado das atividades funciona como forma de reequilibrar as quantidades de substâncias como hormônios no cérebro, compensando assim falta ou excessos, melhorando o desempenho global do órgão, complementa Ricardo Arida, professor e pesquisador do Departamento de Fisiologia da Unifesp.

Promove um corpo bonito esteticamente, e ainda mais saudável

Um corpo saudável engloba muitos aspectos:

Metabolismo: A queima de gordura pode ser influenciada de forma positiva e o metabolismo pode ser acelerado pela prática de exercícios, o que resulta um corpo mais seco, com músculos fortalecidos.

Postura e dores nas costas: pode ser corrigida com exercícios específicos para as costas e core – músculos da região do abdômen.

Fortalecimento: proporciona fortificação de ossos e combate os riscos de osteoporose.

Imunidade: aumenta a imunidade e diminui a ocorrência de doenças virais e inflamatórias.

Sono em dia: contribui com noites de sono mais tranquilas e livres de insônia.

Insulina: potencializa a produção de insulina no corpo, prevenindo o desenvolvimento de diabetes.

Circulação: colabora no funcionamento, dilatação e força dos vasos sanguíneos, controlando os efeitos da hipertensão.

Aumenta a libido e melhora a vida sexual

Uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos mostra que a prática de exercícios físicos também possui influência na libido, definida como um desejo ou impulso sexual do homem e da mulher. Essa energia voltada para os instintos é fundamental para o bem-estar sexual, e além de proporcionar a liberação de endorfinas, a prática moderada e diária, que varia de 15 a 20 minutos desencadeia o aumento significativo dos níveis de testosterona em ambos os sexos, hormônio que influencia o apetite sexual, além de aumentar o bombeamento sanguíneo dos órgãos genitais, como também em outras áreas de maior sensibilidade ao prazer, o que colabora no aumento do desejo sexual.

Quem pratica em média 40 minutos de exercício físico por dia, apresenta o dobro de atividade e desejo sexual em relação aqueles que praticam 20 minutos de caminhada ou corrida lenta. Já pessoas sedentárias mostram valores com diferença negativa na liberação hormonal e na recorrência da prática de atividade sexual.

A inclusão da prática na rotina melhora significativamente a função sexual de mulheres com sintomas de depressão que não recorrem a remédios, principalmente se for praticado antes do ato sexual, por produzir grande aumento na libido, colaborando com a melhora do ato sexual e a incidência de orgasmos.

Colabora no tratamento de depressão

A prática de atividade física provoca a liberação de endorfina, que é um neurotransmissor do hormônio do bem-estar, e proporciona sensação de paz, tranquilidade e vitalidade. A produção de endorfina no corpo pode reduzir a ansiedade, melhorar a autoestima, autoconfiança, melhorar a cognição e diminuir o stress. Praticar exercício físico constante e moderado tem efeitos benéficos na saúde em geral e cria a chamada “boa dependência”, que passa a fazer falta como qualquer outra substância associada ao prazer. O exercício físico é eficiente no combate ao stress e ansiedade através da movimentação e descontração do corpo e ativação do sistema imunológico. Pesquisadores do UT Southwestern Medical Center confirmaram que cerca de 30% dos participantes com quadros de depressão se recuperaram da doença com exercícios físicos.

Para inspirar-se ainda mais, confira.

Compartilhe:
  •  
  • 4
  •  
  •  
  •  

PROCURANDO ALGO

CATEGORIAS

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

ESCOLHA UMA UNIDADE E FAÇA JÁ SUA MATRÌCULA